Aktuelle Themen

Cirurgia plástica - diferencial competitivo será cocriar uma experiência única para o cliente paciente

Uma das maiores operadoras de saúde do Brasil, anunciou no mês passado, que iria descredenciar alguns hospitais de sua rede de atendimentos. Dentre esses hospitais estariam os mais renomados do país. Por Dr. Leo Aguiar O que muitos podem pensar é que o motivo dessa descredenciamento seria devido unicamente à problemas ou questões relacionadas ao resultado do serviço prestado. A questão é muito mais profunda e reflete um momento de mudança de mindset e de paradigma. Uma disruptura dos modelos de remuneração do sistema atual. Segundo a reportagem, os hospitais descredenciados resistiram a abandonar a chamada remuneração por serviço (fee for service, no jargão do setor). Nesse modelo, o hospital recebe do plano por cada procedimento realizado no paciente, como exames e curativos. A operadora argumenta que esse modelo incentiva a oferta de procedimentos desnecessários, causando desperdícios e levando a uma assistência médica inadequada. Há uma tendência de migração do fee for service para fee for value, ou seja, pagamento baseado em valor. A essência aqui do debate é sobre como cuidar verdadeiramente do paciente, de como entregar valor dentro do cuidado. Quando me refiro a valor, não se trata apenas no sentido financeiro, mas algo além, e que tem uma profunda relação com a integralidade da experiência do paciente dentro de sua jornada de consumidor de um serviço prestado por uma empresa de saúde. Se isso parece tão óbvio e simples de se resolver, então por que estamos debatendo isso agora? Vivemos um momento de transição, de confronto de idéias entre os antigos modelos e os novos modelos trazidos pela novas gerações. Acontece que a maior parte dos novos tomadores de decisão do ecossistema de saúde já entendem que o momento é outro, que entregar um excelente serviço com qualidade e segurança é o mínimo que podem fazer pelos seus clientes e que o grande diferencial competitivo é a sua capacidade de entregar valor durante todos os pontos de contatos da jornada do paciente. Porém, antes de falarmos de um serviço de saúde que remunere sobre o valor do serviço prestado, precisamos entender o que é valor na sua essência. Segundo um estudo realizado pela universidade de Utah, onde foram entrevistados médicos e pacientes sobre questões que envolvem a percepção de valor do sistema de saúde, as combinações das respostas dos pacientes foram comparadas com as combinações escolhidas pelos médicos e o resultado mostrou que elas foram diferentes em 90% das vezes. Os pacientes querem participar das decisões a respeito de sua vida cocriando seu processo de saúde. Para a maior parte dos gestores de saúde, existe uma fórmula dura e fria sobre Valor. Valor para o paciente = Desfecho/ Custo, porém essa é um forma muito simplista de entender algo tão complexo como o sistema de saúde. O mundo não é como nós enxergamos. Na verdade, nós enxergamos o mundo como nós somos, e nesse ponto existe um viés cognitivo que limita nossa percepção da verdadeira realidade. A partir dessa nova percepção de realidade, mais e mais pessoas irão entender e estudar o sistema de saúde como um sistema complexo e adaptativo, nos mesmos modelos utilizados pelo centro de saúde global da Universidade de York e utilizado por Joi Ito, do MIT Media Lab, em sua dissertação de PHD chamada a “A Prática da Mudança”. Hoje, podemos entender valor para o paciente como a cocriação de sua experiência de saúde, em que os conceitos defendidos por Prahalad definem o futuro da competição. Então surge o conceito de valor futuro, exemplificado nessa fórmula da EY, em que Valor é igual a Inovação elevada aos Dados. Inovação pode ser entendida pela adaptação dos conceitos do quadruple AIM, onde é necessário ter resultados (para as pessoas, profissionais de saúde, pagadores e gestores ) e esses resultados precisam ser personalizados – por meio de uma medicina participatória, de precisão, preditiva e que seja proativa – e os dados servem para ser conectados, combinados e compartilhados. Dados são as informações obtidas através de aparelhos que digitalizaram a nossa vida; são indicadores, OKR, e métricas de performance. Tudo que pode ser medido pode ser melhorado. Porém, precisamos medir através de aparelhos inovadores, conectar e combinar com as informações que possuímos para gerar insigths e soluções que podem ser compartilhadas. No final do dia a mensagem final que fica é: Utilizamos a Inovação e os Dados para entregar a melhor experiencia para nosso paciente. Simples assim. A tecnologia é uma ferramenta para coletar dados, para podermos conectar esses dados e combiná-los para que possamos compartilhar com todos os profissionais que impactam a jornada dos pacientes. Com o entendimento desses dados, poderemos tomar melhores e mais efetivas decisões para entregar uma experiência personalizada e de grande valor para todos os 4 pilares do quadruple AIM, principalmente e inclusive os pacientes. E assim serão as novas formas de remuneração e contratação hospitais. Um grande exemplo dessa transformação aconteceu no Hospital de Câncer de Barretos, no interior de São Paulo, e que hoje se chama Hospital do Amor e também no Instituto São Joséem Florianópolis. O Futuro da Medicina e da Saúde – como um sistema complexo e adptativo – é pós digital, baseado em relações humanas com foco na empatia e no cuidado, com muito amor. Prover uma jornada incrível em qualquer área da saúde é agora parte da estratégia do sucesso e o grande diferencial competitivo entre os hospitais. A experiência aqui é do cliente, não só do paciente. E esse cliente está pronto para ser surpreendido. A questão é saber se você e sua empresa estão preparados para prover essa jornada. No CX Day iremos abordar o sucesso da experiência do cliente e como poderemos criar experiências de valor para todos. Esse meeting é sobre Customer Experience, e como gestores e todas as áreas de empresas e instituições de saúde podem criar experiências de valor que gerem impacto positivo para todos os seus clientes. O Futuro das Coisas estará presente no CX Day. Será uma manhã inteira para conhecermos os novos clientes da saúde e seus conceitos de valor e sucesso; as ferramentas e soluções realmente inovadoras que vêm transformando a experiência do atual consumidor e pitchesdos gestores de empresas de saúde com práticas exitosas e com foco na experiência do cliente. Crédito da imagem da capa: Catello Gragnaniello Fonte: O Futuro das Coisas – Leia o artigo na íntegra em https://ofuturodascoisas.com/o-diferencial-competitivo-sera-cocriar-uma-experiencia-unica-para-o-cliente-paciente/

Cirurgia plástica: tema pele

Themen

A preocupação com o tamanho do penis é uma realidade no universo masculino. Muitos homens podem que acham o seu penis pequeno , podem na verdade apresentar a condição chamada de ” penis escondido “. O chamado pênis escondido ou oculto, se refere aquela situação onde grande parte do tamanho peniano encontra-se escondido na gordura pubiana, deixando o pênis com uma aparência menor ( penis pequeno ). Existem várias causas para o pênis escondido incluindo a obesidade, o envelhecimento com o aparecimento de flacidez que resulta em uma dobra de sobreposição de gordura abdominal e da pele, e; uma escassez de pele peniana, resultante de uma inflamação crônica ou uma circuncisão ( cirurgia de fimose ) onde foi retirada pele em excesso. Desenho esquemático em 3D : lipo pubiana + pexia cutânea para tratamento penis escondido Alguns homens nascem com uma almofada de gordura congênita que tende a deixar o pênis “escondido” na região pubiana. Além disso, a pele do abdome inferior e pubis pode apresentar flacidez e formar uma espécie de avental, encobrindo uma boa parte do corpo peniano, fazendo com que o pênis de alguns homens fique escondido sob o excesso de pele e gordura. A obesidade pode acentuar ainda mais essa situação, fazendo com que a ocultação do penis fique ainda pior. Na maioria dos casos, esses pacientes possuem penis de tamanho normal, porém boa parte do seu comprimento fica ” embutido ” na gordura e pele do pubis. Felizmente, a cirurgia plástica moderna pode proporcionar um excelente resultado nesses casos. Quanto maior a quantidade de gordura e flacidez na região pubiana, melhores serão os resultados proporcionados pelo procedimento de lipoaspiração somada a ressecção do excesso de pele no púbis, que irão tornar aquela parte do pênis outrora oculta, agora totalmente visível, proporcionando uma aparência de aumento peniano. A lipoaspiração geralmente é realizada sob anestesia local + sedação horal e possui duração média de 90 minutos. Primeiramente a lipo é realizada e logo após, caso haja flacidez de pele, realiza-se a remoção de pele na região pubiana. Se o excesso de pele e gordura estão presentes na parte inferior do abdômen e púbis, a pele e gordura são excisadas, elevando a região pubiana e dando uma aparência mais jovem para o pênis e genitália. A pele do púbis é suturada até o tecido abdominal subjacente, o que impede que o pênis fique escondido na região pubiana. A pele na base do penis e escroto é suturada ao corpo peniano, impedindo que o penis se recolha na gordura ou no escroto. ( ver desenho esquemático em 3d acima) A extensão da operação depende da gravidade da deformidade. A cirurgia geralmente é feito em ambulatório, com anestesia local, sem necessidade de internação hospitalar. A melhora na aparência do pênis e região pubiana pode ser dramática. Na clínica Bioplástica, nós sabemos que a preocupação com a estética peniana não se trata apenas de mera vaidade, mas sim de uma vontade legítima de todo ser humano de estar bem consigo mesmo e o mundo a sua volta. Diariamente, nós observamos as grandes transformações, físicas e psicológicas que nossos pacientes apresentam quando, após a cirurgia peniana, alcançam os objetivos estéticos que sempre almejaram. Em nossa clínica, você será atendido pelo Dr Valter Nascimento, que irá após sua consulta, irá lhe indicar as melhores opções cirúrgicas para melhora da estética peniana. Se você ficou interessado na lipoaspiração do púbis para casos de pênis escondido ou embutido, ligue (21) 2284-1721 / 3547-8621 / 3547-8622 e agende sua consulta. A equipe da Bioplástica terá o maior prazer em atende-lo e esclarecer todas as suas dúvidas. Outros Artigos de Cirurgia Plástica Interessantes:Aumento PenianoFimoseProtese PenianaBioplastiaPlastica Barriga...
Uma das principais preocupações de quem deseja fazer uma cirurgia plástica é a segurança do procedimento que será realizado. A SBCP procura sempre alertar as pessoas da importância de contar com um cirurgião associado à entidade, o que ajuda a garantir que o paciente está sob os cuidados de um profissional devidamente capacitado. Outro ponto importante é assegurar que o local escolhido para a cirurgia está preparado para oferecer as condições ideais.     As duas coisas andam próximas. Um estudo publicado recentemente na prestigiada JAMA – Journal of the American Medical Association mostrou que o número de infecções geradas após lipoaspirações feitas por médicos não credenciados, que não seguem leis ou regulamentações federais, e em instalações que não seguem os padrões mínimos exigidos pelas entidades que regulamentam e fiscalizam o setor é significantemente maior. O estudo mostrou que a prevalência da bactéria Streptococcus A nestas condições é muito maior.   Apesar de ter sido conduzida nos EUA, a notícia ressalta a importância para os pacientes se planejarem e escolherem bem onde será feita a cirurgia plástica.   Lembre-se sempre: cirurgia plástica envolve riscos como qualquer outro procedimento cirúrgico. No entanto, é possível minimizá-los. Certifique-se das credenciais do cirurgião escolhido e garanta que o local é credenciado pela SBCP para que sua segurança esteja em primeiro lugar!   Fonte: Smart Beauty Guide   Crédito da foto: LiebeGaby via Compfight cc ...
A falta de cabelos ou de pelos pode ser um problema para muitas pessoas. As causas podem ser genéticas ou resultado de traumas e cicatrizes, mas os efeitos são os mesmos: baixa auto-estima e problemas de imagem corporal. Quem tem este tipo de problema pode encontrar na cirurgia plástica de transplante capilar um aliado importante.   O Blog da SBCP conversou com o regente do Capítulo de Restauração Capilar da SBCP, Dr. Henrique Nascimento Radwanski, para esclarecer como esta cirurgia plástica pode auxiliar pessoas a resgatarem sua auto-estima, quais casos são indicados, as principais técnicas e as etapas pré e pós-operatórias.   View image | gettyimages.com   Está enganado quem pensa que este tipo de procedimento é reservado apenas aos homens mais velhos. Apesar de ser maioria, este público não é o único que se submete a transplantes capilares. “Mulheres podem se beneficiar do transplante capilar nas seguintes situações: numa alopécia androgenética limitada; para restaurar supercílios (ie. sobrancelhas), para descer uma testa alta, e para corrigir cicatrizes desagradáveis consequentes de um lifting facial”, explica o Dr. Henrique.   Os motivos para se submeter a um transplante capilar também vão muito além da questão estética. Pessoas que sofreram traumas, como queimaduras ou cortes, também são boas candidatas a esta cirurgia plástica. “Pode-se restaurar cabelo, fazendo transplante de folículos sobre áreas cicatriciais pós-queimadura ou pós-trauma, com excelentes resultados”, diz o Dr. Radwanski.   Leia a entrevista completa abaixo.   Doutor, quais cirurgias plásticas fazem parte do capítulo de restauração capilar? A cirurgia de restauração capilar, ou de transplante capilar, pode atender diversas demandas de pacientes que se apresentam ao cirurgião plástico. O denominador comum é a falta de cabelo ou de pelos. A maioria dos pacientes é composta por homens de 25-65 anos de idade com alopécia androgenética (calvície herdada do lado paterno e/ou materno). Entretanto, mulheres também sofrem de calvície. Outras áreas que podem ser transplantadas: sobrancelhas, cicatrizes em couro cabeludo ou na face, mulheres que têm a testa alta.   A cirurgia plástica de restauração capilar pode ser feita apenas por razões estéticas? Quais situações podem ser consideradas funcionais? A cirurgia plástica é tanto estética quanto reparadora; no transplante capilar isso também é verdade. Pode-se restaurar cabelo, fazendo transplante de folículos sobre áreas cicatriciais pós-queimadura ou pós-trauma, com excelentes resultados.   A calvice tem cura, Doutor? O que pode causar este problema? A calvície é uma condição herdada, e não tem cura. Com tratamentos dermatológicos é possível amenizar ou retardar seu desenvolvimento, mas não há terapia alguma que acabe definitivamente com a alopécia androgenética.   A cirurgia plástica é a melhor forma de combater este problema? Sim, contanto que o (ou a) paciente tenha uma boa reserva de folículos, ou seja: que apresente uma área doadora com bastante cabelo. Evidentemente, os cabelos têm que ser da mesma pessoa. O princípio do transplante capilar é que os folículos são removidos da área posterior do couro cabeludo, e que não têm tendência a queda. Uma vez transferidos (daí a palavra transplante) estas raízes de cabelo crescerão no seu novo local como se estivessem na região de origem.   View image | gettyimages.com   Existe contra-indicação para esta cirurgia plástica? Sim, como todo procedimento cirúrgico existem contra-indicações. Caso não exista área doadora suficiente o cirurgião não conseguirá uma cabertura adequada e o paciente ficará insatisfeito. Também é importante eliminar pacientes com expectativas irreais, como o paciente jovem que ainda perderá, inexoravelmente, seus cabelos.   Quais são as recomendações pré-operatórias para este procedimento? O transplante capilar, como procedimento cirúrgico, exige um preparo adequado; entre os requisitos, estão os exames laboratoriais de rotina e um risco cirúrgico com eletrocardiograma. Evidentemente, uma consulta pré-operatória é necessária, com anamnêse completa e história clínica bem registrada.   E as pós-operatórias, quais são? O transplante capilar tem, normalmente, um pós-operatório bastante tranquilo, pois trata-se de uma cirurgia de porte 2 (ie. de leve grau de trauma). Requer um afastamento do trabalho por 3 – 5 dias, suspensão de atividades esportivas pelo tempo de 10 dias, e pode retomar piscina e praia após três semanas.   Este tipo de procedimento é comumente associado aos homens. Mulheres também podem se submeter a esta cirurgia plástica? Há diferença no tratamento? Mulheres podem se beneficiar do transplante capilar nas seguintes situações: numa alopécia androgenética limitada; para restaurar supercílios (sobrancelhas), para descer uma testa alta, e para corrigir cicatrizes desagradáveis consequentes de um lifting facial.   Quais são as técnicas mais usadas? O transplante capilar é, essencialmente, um procedimento cirúrgico que redistribui folículos de uma área do couro cabeludo (doadora) para outra (receptora). Para a remoção dos folículos, pode-se retirar um segmento de couro cabeludo (ie. uma tira de pele com folículos) ou os folículos podem ser extraídos individualmente pela técnica FUE (sigla em inglês para follicular unit extraction). Na 1ª opção o paciente fica com uma discreta cicatriz na área doadora, escondida debaixo dos cabelos; na 2ª as micro-cicatrizes tampouco aparecem.     Crédito da foto: Greg Peverill-Conti (via Flickr / CC BY NC SA 2.0) ...